Buscar
  • Camila Berbel

Como melhorar sua flexibilidade

Atualizado: Fev 19

Os alongamentos podem ser associados a atletas ou frequentadores de academia como uma preparação para os treinamentos. Porém, essa atividade deveria fazer parte da rotina de todas as pessoas, já que a falta de flexibilidade pode comprometer a execução de tarefas básicas. Pessoas que possuem uma musculatura pouco flexível têm uma sensação de encurtamento. Assim, atividades básicas, como alcançar um objeto no alto de uma prateleira, se desviar de um obstáculo ou brincar com as crianças podem representar um grande esforço. Portanto, para tornar essa rotina mais confortável e agradável, a flexibilidade é um ponto importante e o Pilates pode ajudar. E muito.


O que é flexibilidade?

Por definição, flexibilidade é a capacidade da estrutura muscular se estender, sem provocar danos ou lesões, promovendo uma ampla movimentação em uma articulação com facilidade. Entre 13 e 15 anos, o corpo atinge seu grau máximo de flexibilidade, mas com o tempo ocorre uma perda de elasticidade dos tecidos. Uma atividade física, como o Pilates, é capaz de retardar esse processo natural do envelhecimento e manter a flexibilidade na fase adulta e terceira idade.


Pilates e flexibilidade

O Pilates é uma das melhores atividades físicas para trabalhar a flexibilidade. Todos os seus exercícios têm foco no fortalecimento muscular e na respiração, dois fatores ligados à flexibilidade. Os exercícios de força e alongamentos são essenciais na busca por mais flexibilidade. No alongamento estático, o praticante se mantém em uma mesma posição por pelo menos 30 segundos. O objetivo é mudar a estrutura muscular. Já no alongamento dinâmico são realizados movimentos que buscam o máximo de amplitude dos membros.


Classificação da flexibilidade no Pilates

No Pilates, a flexibilidade é classificada de acordo com o tipo, abrangência e articulações envolvidas. São elas:

  • Flexibilidade balística: é aquela que ocorre de forma rápida, sem preparação, provocada por um agente externo. O corpo recebe um alongamento súbito que pode provocar lesões;

  • Flexibilidade estática: assim como a balística, também é provocada por agente externo, mas é executada de forma lenta, gradual, respeitando as limitações dos músculos;

  • Flexibilidade dinâmica: é a busca pela máxima amplitude dos movimentos provocada pela própria pessoa de forma rápida;

  • Flexibilidade controlada: nesta classificação é feita a sustentação de uma parte do corpo de forma lenta, com a contração dos músculos de forma isométrica.

Respiração

A respiração, embora passe sempre despercebida no dia a dia, também tem um papel importante. No Pilates, os exercícios são realizados de forma coordenada com a respiração, que deve ser lenta e profunda. A respiração oxigena os músculos, garantindo um trabalho muito mais eficiente. Além disso, fazer uma respiração profunda e consciente relaxa todas as tensões musculares e previne as indesejáveis dores nas articulações.


Por que a flexibilidade é importante?

Pegar objetos em uma prateleira mais alta, alcançar algo que está mais longe na mesa, recolher algo no chão, trocar uma lâmpada, enfim, há uma série de atividades simples da rotina diária que podem ser extremamente fáceis ou se transformar em um exercício desafiador, a depender do nível de flexibilidade do corpo. À medida que as pessoas envelhecem, fica cada vez mais difícil recuperar essa flexibilidade. Assim, principalmente, a população idosa vai perdendo a independência e acaba recorrendo a ajuda de outras pessoas para auxiliar em atividades corriqueiras.

Outro fator importante é que quando uma articulação não é capaz de realizar o movimento em toda a sua amplitude, essa falta é compensada por uma outra articulação. Assim, esse local da compensação passa a ficar sobrecarregado e suscetível ao surgimento de lesões, como distensões, entorses e dores.

Por todas essas qualidades, o Pilates é um forte aliado da flexibilidade. O importante é sempre procurar um profissional especializado, que fará uma avaliação e um plano de treinamentos personalizado, levando em conta os objetivos, necessidades e limitações de cada praticante. Um corpo flexível garante independência, liberdade, previne dores, reduz as limitações físicas e facilita todas as atividades diárias.


Exercícios

Os exercícios realizados em uma sessão de Pilates para aumentar a flexibilidade podem ser muito variados para trabalhar braços, pernas, quadril ou coluna.

Podem ser feitos exercícios no solo com a bola ou sem acessório algum. Um exemplo são os exercícios que obrigam o aluno a tentar alcançar as pontas dos pés com as pernas esticadas. São posturas simples, mas que podem trazer grandes resultados ao longo do tempo.

Para uma atividade mais completa, também é possível utilizar os equipamentos disponíveis em um estúdio de Pilates. Eles trarão resultados mais rápidos e com toda a segurança. O mais bacana é que esses aparelhos previnem lesões e respeitam as limitações e o ritmo de cada praticante.

O Cadillac, por exemplo, alonga os músculos posteriores e mobiliza a coluna. O Monkey é um exercício unilateral que mobiliza coluna, quadril, tornozelo e joelho. Já o Stretches Side no trapézio faz com que o aluno apoie o corpo na barra e estique a perna lateralmente. Esse exercício fortalece a parte interna da coxa.

Também é interessante combinar os aparelhos com outros acessórios, como fazer uma extensão de tronco no aparelho sobre a bola.


Oxigenação dos músculos

Restaurar a amplitude dos movimentos e ter um corpo mais flexível aumenta a oxigenação nos músculos. Essa prática também previne problemas que trazem limitações. Alguns exemplos são tendinites e algumas lesões.

O Pilates também auxilia para realinhar a postura, reduzir incômodas dores nas costas, relaxar as tensões nas articulações e aumentar a disposição de forma significativa.

Os resultados são obtidos de forma gradual. Porém, os benefícios são perceptíveis a cada sessão. Isso dá motivação e persistência necessárias aos alunos para seguir em frente em busca de mais flexibilidade.

Por isso, o Pilates é uma ótima alternativa para quem precisa ganhar flexibilidade ou mantê-la. Para obter os resultados desejados, é fundamental contar com orientação especializada e executar os exercícios de acordo com o condicionamento físico.

Se você tem dúvidas sobre a experiência de um iniciante no Pilates, aproveite as dicas do nosso e-book gratuito Preciso fazer Pilates, e agora?

Mande uma mensagem para nós ou passe aqui na clínica para tomar um cafezinho e será um prazer conversarmos mais sobre o assunto.



0 visualização0 comentário